Olhares, pensamentos e ações de jovens indígenas Guarani Kaiowá da reserva indígena de Dourados, estado de Mato Grosso do Sul, Brasil

Contenido principal del artículo

Rosely Aparecida Stefanes Pacheco
Gilmar Ribeiro Fernandes
Tiago Fernando Aquino Soares
Carlos Gabriel Stefanes Pacheco

Keywords

Jovens indígenas, participação política, movimento indígena, conflitos sociais, Guarani Kaiowá

Resumen

O presente texto propõe uma reflexão  sobre o processo de participação política dos jovens indígenas Guarani Kaiowá da Reserva Indígena de Dourados, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Um dos objetivos é descrever, refletir a partir da análise das iniciativas de ações deste “novo sujeito político” autodenominado de “adolescentes e jovens indígenas”, sobre o processo de articulação e mobilização, diante de uma situação de extrema violência a que foram submetidos. Estes sujeitos estão dialogando, sobretudo, com o espaço virtual, ilustrado pelas redes sociais na rede mundial de computadores. Utilizam, sobretudo, estas novas tecnologias em favor da luta de seu povo na busca pela efetivação de seus direitos fundamentais. Desta forma, as ações destes jovens e adolescentes indígenas, destacam-se em movimentos de resistência e passam a estabelecer seu protagonismo.
Abstract 37 | PDF Downloads 195 HTML Downloads 144 EPUB Downloads 94

Citas

Arendt, Hannah. (1989). Origens do totalitarismo. São Paulo: Cia. das Letras.

Benites, Tonico. (2014). A educação dos jovens Guarani e Kaiowá e sua utilização das redes sociais na luta por direitos. Revista Desidades, número 2 . ano 2 . mar.

Bustelo, Eduardo. (2007). El recreo de la infancia. Argumentos para otro comienzo. Siglo XXI, Ed. Buenos Aires.

Eremites de Oliveira, Jorge. Um holocausto contra os Guarani e Kaiowá em Mato Grosso do Sul? 07 de fevereiro de 2012 < http://fronteiraagora.com.br/portal/um-holocausto-contra-os-guarani-e-kaiowa-em-mato-grosso-do-sul> [02 de fevereiro de 2016.]

Hopenhayn, Martín. (2015). La juventud latinoamericana. recuento de daños, logros y esperanzas. In: Hernández, Alberto y Campos- Delgado, Amalia E. (Coord.). Actores, redes y desafíos : juventudes e infancias en América Latina — Tijuana : El Colegio de la Frontera Norte ; Buenos Aires : Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales.

Martini, Stella. (2015). Nombrar las violencias. Certezas y paradojas de la opinión pública. In: Martini, Stella e Contursi, María Eugenia (compiladoras). Crónicas de las violaciones en la Argentina: Estudios en comunicación y médios. Ediciones Imago Mundi, Buenos Aires.

Mateos, Paula Helena, Merino, María Elena; Berdeguer, Luis Marcelo. (2012.) Filosofía con Niñas, niños y adolescentes. Libro de trabajo 1er Congreso Nacional y 6to Congreso Provincial de Niños, Niñas y Adolescentes Protagonistas del Cambio Social. Ministerio de Desarrollo Humano de la Provincia de San Juan. Secretaría Nacional de Niñez Adolescencia y Familia. Ministerio de Desarrollo Social. Presidencia de la Nación. Buenos Aires.

Mateos, Paula Helena. (2015). Narrativas de la violencia : las voces infanto-adolescentes como parrhesia. Buenos Aires, Clacso.

Melià, Bartomeu; Grunberg, Georg e Grünberg, Fried. (1976). “Los Paî-Tavyterã: Etnografia guarani del Paraguai contemporâneo”. Suplemento Antropológico de la Revista del Ateneo Paraguayo, 9 (1-2).

Mura, Fabio. Habitações Kaiowá: Formas, propriedades técnicas e organização social. (2000). Dissertação de mestrado apresentada ao PPGAS do Museu Nacional-UFRJ. Rio de Janeiro, UFRJ.

Pereira, Levi Marques. A atuação do órgão indigenista oficial brasileiro e a produção do cenário multiétnico da Reserva Indígena de Dourados, MS. [21 de janeiro de 2016.]

Relatório Brief Report on the violations of the Human Rights of the indigenous Kaiowá Guarani peoples in Mato Grosso do Sul – Brazil, CIMI, 2014 [2 de fevereiro de 2016.]

Relatório Nacional de Acompanhamento dos objetivos de desenvolvimento do Milênio, maio, 2014, IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) [05 de fevereiro de 2016.]

Relatório sobre a situação mundial da infância, UNICEF, 2011, Adolescência uma fase de oportunidades [20 de fevereiro de 2016.]

Santos, Boaventura de Sousa. (2005). Pela Mão de Alice. Cortez Editora, 2005. 10ª. Edição.

Thomaz De Almeida, Rubem. (1991). O projeto Kaiowá-Ñandéva: uma experiência de etnodesenvolvimento junto aos Guarani-Kaiowá e Guarani-Ñandéva contemporâneos do Mato Grosso do Sul. Dissertação de mestrado apresentada ao PPGAS/Museu Nacional/UFRJ. Rio de Janeiro.

Vale, Claudia Netto do, e Rangel, Lucia Helena. (2008). Jovens indígenas na metrópole. In: ponto-e-vírgula, 4: 254 – 260.

Stefanes Pacheco, Rosely Aparecida. (2004). Mobilizações Guarani Kaiowa e Ñandeva e a (re) construção de territórios (1978-2003): novas perspectivas para o Direito Indígena. Dissertação de Mestrado em História. Dourados, UFMS.

Wolkmer, Antonio Carlos e Jose Rubens M Leite. (2003). Os “novos” direitos no Brasil. São Paulo, Saraiva.